Responsabilidade

Quando as igrejas e as escolas se referem ao céu e ao inferno, a Deus e ao diabo, tudo isso está certo. O errado é a explicação referente às forças boas e más.


Isso induzirá qualquer indagador sério a ficar em dúvidas e a cometer erros, pois onde existem duas forças, logicamente deve haver dois soberanos, que nesse caso seriam dois deuses, um bom e outro mau.

E este não é o caso!

Existe apenas um Criador, um Deus, e, portanto, também apenas uma força que perflui, vivifica e fomenta tudo o que existe!

Essa força Divina, pura e criadora, atravessa constantemente toda a Criação, reside nela e é inseparável da mesma. Encontra-se em toda a parte: no ar, em cada gota de água, nas pedras que se formam, nas plantas que crescem, nos animais e naturalmente nas criaturas humanas também. Nada existe onde ela não esteja.

E assim como ela tudo perpassa, da mesma forma também perflui ininterruptamente o ser humano. O ser humano, porém, é constituído de tal maneira, que se assemelha a uma lente. E assim como uma lente reúne os raios solares que a atravessam, conduzindo-os adiante em forma concentrada, de maneira que os raios caloríficos, reunindo-se num ponto, ardam e produzam fogo, da mesma forma o ser humano, devido à sua constituição especial, reúne por meio de sua intuição a força da Criação que o perpassa e a conduz adiante, de forma concentrada, através de seus pensamentos.

Conforme a espécie desse intuir e os consequentes pensamentos, a força criadora de Deus, de atuação autónoma, será dirigida por ele para bons ou maus efeitos!

Essa é a responsabilidade com que o ser humano tem de arcar! Nisso encontra-se também o seu livre-arbítrio!

Leia mais sobre o tema… Responsabilidade – Volume II

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo